Por que simular o aproveitamento de água da chuva?

Aproveitar água da chuva é simples, não é? Basta colocar um reservatório para armazenar a chuva coletada pelo telhado e pronto! Na verdade, não é tão simples assim. Seria muito fácil instalar reservatórios gigantes em qualquer lugar, porém, limitações como espaço, acesso e, principalmente, custo, fazem com que seja necessária uma avaliação precisa do tamanho do reservatório. Para isso, existe sempre um volume de reservatório ideal que pode ser calculado para uma determinada situação.

Um reservatório de água pluvial é instalado para armazenar água da chuva de forma a suprir as necessidades (demandas) às quais essa água da chuva será destinada. A grande questão é saber o tamanho que um reservatório deve ter para armazenar água suficiente para suprir a demanda de água da edificação. Não sendo tão grande que esteja superdimensionado e nem tão pequeno que não supra as necessidades de água da edificação.

Pesquisas de diversas partes do mundo vêm estudando novas metodologias que buscam acertar com confiabilidade no volume de reservatório ideal.

Para realizar esta avaliação, a norma NBR 15.527 (ABNT, 2007) indica 6 diferentes métodos de dimensionamento de reservatórios, a serem escolhidos a critério do projetista. Um dos métodos mais utilizados atualmente é o método de simulação baseado em modelo comportamental, por ser o que mais se aproxima da realidade. Este método utiliza informações de uma edificação (como área de telhado, quantidade total de água consumida, finalidades de uso da água, entre outros), e faz de conta que essa edificação possui um sistema de aproveitamento de água da chuva implantando. Com as informações da quantidade de chuva nos últimos anos, calcula quanto de água a edificação consegue economizar substituindo a água potável por água de chuva. Para ficar mais claro, vamos ao exemplo.

Como funciona a simulação:

Uma simulação da RainMap leva em consideração um registro diário de chuva dos últimos anos e a área disponível para coleta (o telhado, por exemplo), considerando perdas pelo escoamento superficial (evaporação e absorção pela superfície) e uma parcela do início das chuvas que deve ser descartada, para eliminar impurezas da atmosfera e do próprio telhado. A partir dos dados de consumo de água, que pode ser estimado por meio do número de moradores e o consumo médio per capita ou pego diretamente na fatura de água, e considerando um percentual de substituição do consumo de água potável por água de chuva, é possível calcular a demanda de água da chuva para a edificação e verificar se o reservatório possui um tamanho adequado para tal.

Assim, pode-se repetir a simulação e, a partir da análise de diversas opções de reservatórios e seus resultados, é selecionado um volume de reservatório ótimo.

Informações advindas da simulação

Algumas informações podem ser obtidas com o uso de simulação de sistemas de aproveitamento de água da chuva. É possível, por exemplo, saber o potencial de economia de água potável, o volume de água de chuva perdido (extravasado do reservatório) e o consumo de água não suprido por água da chuva ao se utilizar um determinado reservatório. A partir desses resultados, pode-se relacionar essas informações com os reservatórios simulados e visualizar matematicamente o que acontece. A escolha de um reservatório é feita a partir da decisão de um profissional, que identifica o tamanho do reservatório que mais vale a pena, de forma que o volume adotado supra as necessidades do sistema a ser implantando.

Exemplo de simulação

Para fins de comparação, no esquema a seguir vemos dois exemplos de simulações realizadas para uma mesma cidade e seus resultados:

É possível verificar que o reservatório ótimo varia de acordo com os parâmetros de entrada. No primeiro caso, tanto a demanda quanto a área de coleta são pequenos (pouca área de telhado, poucos usuários e poucos usos para água de chuva). Percebe-se, então que não é necessário um reservatório muito grande para suprir essas necessidades. No segundo caso, com o aumento do número de usuários e dos usos da água de chuva, é necessário um reservatório maior para suprir essas demandas. Além disso, a área de coleta e a chuva é suficiente para que seja captada uma quantidade de água suficiente para encher o reservatório de 10.000 L.

Por que aproveitar a água da chuva?

O aproveitamento de água da chuva é uma estratégia que traz benefícios do âmbito econômico, social e ambiental. Além de estimular a preservação dos corpos hídricos, a utilização de água da chuva reduz picos de alagamentos nas cidades, problemas de erosão e pode contribuir para diminuir a fatura de água consumida pelas edificações.

Ficou interessado?

Para te auxiliar a quantificar os benefícios com o aproveitamento de água da chuva na sua edificação, a RainMap disponibiliza uma plataforma de simulação bem amigável que pode ajudar a avaliar essa questão!

Share

Cofundador e diretor técnico da RainMap Sistemas Sustentáveis. Mestre e Engenheiro Civil pela Universidade Federal de Santa Catarina, com ênfase na área de Aproveitamento de Águas Pluviais em Edificações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *